Realizando a automação de negócios com RPA

Realizar a automação de negócios com RPA pode ser um desafio para grande parte das empresas que não tiveram contato com essa tecnologia. Entretanto, ela é uma das soluções possíveis para escalar negócios e potencializar seus recursos. Dessa forma, entender melhor como o RPA age inúmeras opções nos mais diferentes setores. De acordo com o Insitute of Robotic Process Automation and Artificial Inteligence, o RPA se define como “a aplicação da tecnologia que permite a colaboradores de uma empresa a configurarem um software (ou robô) para capturar e interpretar aplicações já existentes para processarem transações, manipular dados, ativar respostas e se comunicar com outros sistemas digitais”. Assim, ao pensar em automatizar ou otimizar tarefas em sua empresa, o RPA aparece como uma das principais opções. Contudo, mesmo simulando as mesmas atividades e respostas de um ser humano, ele oferece benefícios em eficiência. Assim, dentre as diversas ações que um RPA pode realizar, estão:
  • A abertura e leitura de e-mails e seus anexos
  • O inicio de sessões em aplicações.
  • A realização da integração com ferramentas corporativas
  • A interação com bases de dados, incluindo leitura, escrita e combinação com outras fontes.
  • A realização das buscas pela web, incluindo redes sociais.
  • A efetuação de cálculos e preenchimento de formulários de maneira automática.
  • A cópia e mudança de pastas
  • A formatação de relatórios.
  • A extração e processamento de conteúdos estruturados em vários formatos, como .doc ou .pdf.
  • A realização de ações que combinem ambientes físicos com em nuvem.
E-Book Chatbots ConnectCom

Em que setores a automação com RPA pode ser aplicada?

Ao ter esse amplo escopo de atuação, o RPA consegue penetrar em inúmeros setores e áreas. Assim ele pode, automatizar diversos processos e procedimentos de uma única vez. Contudo, mesmo delimitados em alguns setores mais específicos, eles podem ser manejados para a sua conveniência. Vamos conferir alguns deles e seus respectivos setores de atuação: Administração – Processamento de orçamentos. – Realização de procedimentos de contabilidade. – Manejo e conferência de contratos. Suprimentos e Manufatura – Processamento de pedidos internos (como recebimentos e estoque) e externos (como compras). – Gestão de ordens de serviço. – Manejo e conferência de contratos. Recursos Humanos – Gestão de pessoal (folha de pagamento, banco de horas). – Processos de recrutamento, seleção e capacitação. Financeiras e seguradoras – Confecção de relatórios. – Gestão de informações financeiras, como inadimplências e cobranças. – Procedimentos automáticos de contabilidade. – Conferência automática de informações em sinistros. Tecnologia, Telecomunicações e Energia – Execução de backups. – Monitoramento de equipamentos. – Gestão de arquivos (copiar, mover e conferir). – Conferência e cruzamento de informações de setores diferentes. Saúde – Monitoramento de equipamentos. – Gestão de dados de pacientes e funcionários. Como é possível ver, o RPA possui uma série de funcionalidades que podem ser combinadas para automatizar setores inteiros. Dessa forma, os recursos são otimizados e a força humana é aplicada onde ela é essencial. Contudo, é preciso ter em mente exatamente o que se precisa e o que se quer de um RPA. Assim, os benefícios são observados mais rapidamente, não importando o tamanho do seu desafio.

Gostou desse conteúdo? Leia também: O que são empresas disruptivas?