E-Saúde: conheça os principais termos

Com o desenvolvimento acelerado das tecnologias digitais, o ramo da e-saúde possui uma variedade de palavras e expressões. Dessa forma, profissionais da saúde de diversos níveis se deparam com termos específicos que nem sempre são claros para seu campo. O desconhecimento do vocabulário próprio pode limitar o entendimento da mensagem passada em anúncios, artigos e congressos, prejudicando a compreensão do real impacto das soluções tecnológicas. Assim, mesmo com a grande variedade de informações, muitas empresas tem uma defasagem interna quanto à compreensão das tecnologias ao seu dispor pela e-saúde. Pensando nisso, elaboramos uma lista com os principais termos utilizados na jornada de transformação digital na saúde:

IA

A Inteligência artificial (ou seu termo em inglês, artificial intelligence, ou AI) é a característica de sistemas que têm a capacidade de realizar tarefas de maneira autônoma, podendo contribuir para a prevenção, diagnóstico e tratamento das mais diversas patologias. Dessa forma, é possível automatizar diversos procedimentos e focar os esforços de profissionais da saúde onde sua presença seja realmente imprescindível.

Big Data

O Big Data é um conceito que engloba vários tipos de dados processados com velocidade em grande volume. Os dados são gerados tanto por aparelhos domésticos de monitoramento de saúde quanto por aparelhos hospitalares. Todas essas informações fornecem uma grande base de dados que auxilia tanto a equipe assistencial quanto a equipe administrativa. Assim, esse é um dos conceitos mais utilizados atualmente em empresas de médio e grande porte na escalagem de suas atividades.

Machine learning

É a capacidade das máquinas aprenderem sozinhas a partir de um grande volume de dados, identificando padrões e prevendo situações. O conceito de machine learning é amplamente difundido na forma de diversas tecnologias acessórias. A presença humana é reservada para a aprendizagem inicial e monitoramento, permitindo uma potencialização das equipes envolvidas. Dessa forma, o machine learning é uma das tecnologias mais amplamente difundidas no ramo da saúde.

Wearables

Equipamentos vestíveis, como relógios inteligentes, que permitem o monitoramento remoto e contínuo dos indivíduos. O conceito de wearables permite que diversos gadgets tecnológicos sejam aplicados no auxílio do diagnóstico e análise de informações de pacientes. Já é possível observar esses tipos de recursos disponíveis tanto para empresas da saúde como para o público em geral por um preço cada vez mais acessível. Eles serão cada vez mais presentes para o acompanhamento de doenças crônicas.

IoT

A utilização da internet para troca de dados entre equipamentos, possibilitando a consolidação dos mesmos. A internet of things (ou internet das coisas) é um conceito amplamente difundido com o auxílio de wearables. Dessa forma, máquinas podem conversar e trocar informações entre si, permitindo uma geração de dados às equipes envolvidas e mais assertividade e precisão por meio da aplicação da e-saúde.

IoMT

É a troca de dados entre equipamentos médicos. Com ela, as medições de sinais vitais realizadas podem ser enviadas diretamente para o prontuário eletrônico, por exemplo. Isso reduz o tempo em tarefas manuais, permitindo que equipes médicas otimizem suas rotinas e possam liberar tempo para processos essenciais.

Data Driven

Características das organizações que se estruturam em torno dos dados. Estratégias são traçadas e decisões são tomadas a partir de evidências bem fundamentadas. No ramo da saúde, o data driven permite a assertividade de dados tanto para equipes médicas como administrativas, permitindo uma tomada de decisões cada vez mais precisa e embasada. Confira mais sobre o ramo em nosso e-book: Como iniciar a transformação digital na saúde Artigo sobre e-saúde inicialmente publicado no blog da Interaktiv, uma empresa CTC.